Uploaded with ImageShack.us

Que férias! Ceará terra da Gente!!!

Que férias! Ceará terra da Gente!!!

sábado, 22 de maio de 2010

Cordel da Mulher Atrevida




l

Não sou Mulher que se diga
ETA! Que “Dona Patroa!
Também o pior não diga,
Se eu não sou tão a “Boa,”
Chame-me de Atrevida
Um pouco de Pervertida,
Porém jamais fui atoa.
ll

Nunca fui de ganhar Temas,
Mais me visto de Poema
Sou meu próprio Diadema.
Chamem-me Pedra Noventa
Vou pra casa dos Sessenta
Meio a reverso e Dilema.
Enfim, sou meu próprio lema.

lll

Eu nasci bem desprovida
Dos atributos reais,
Era triste e inibida.
Com silhueta normal,
Ás vezes desengonçada
Em outras, um pouco ousada,
Mais sem trejeitos Fatais.
.

lV

Aos poucos fui me encarando
Aceitando-me como eu era...
Não era a Bela Encantada
Mais, eu vivia essa espera.
De um dia transformar-me
Na mais formosa Donzela
E ser de fato a Fera.

V

Abri porteira no “Mundo”
Por onde eu nem caberia,
Pisei abismo profundo
Submergi com “Valia”
Comi poeira da estrada
Atravessei invernada
Estampei-me de “Ousadia.

Vl

Só não Roubei nem Matei
Nem em vícios fui parar.
Lombo de Touro eu montei.
Pulei muro a me arrastar
Para poder escapar
Saltei por cima do Mar
Tentando me equilibrar.

Vll
Quem conhece a Face Dura
Do chão que pisa a Pobreza,
Colhe a “Provisão Madura
E trás no rosto a Beleza
Planta capim no asfalto
Produz seu grande roçado
Sem cansaço e sem Moleza.



Vlll

Porém quem não compreender
É que não viveu no Fio,
Da Navalha a entender,
Que na voz de um arredio
Existe um gritar latente
Não se tem vida decente
Com a barriga vazia.



lX
Senti dor e desalento
Sem poder da nem um Pio.
Assemelhei-me ao jumento,
Quando lhe falta alimento
Inclina pra baixo a crina
Faz seus passos, sua Sina
Relincha buscando alento.

X
Para encurtar essa estória,
Guarde-me em sua memória.
Sou filha da “Persistência”
Tenho irmãos com Sapiência
Doutor em Sabedoria,
Penso com muita Ousadia
Sou filha da "Valentia."

Goretti Albuquerque.

2 comentários:

  1. 私の語学力は、貧しいです。
    しかし、貴方の詩を素晴らしいと感じれます。

    ResponderExcluir
  2. Já comentei mas não ficou gravado....vou repetir o que escrevi.

    A Mulher com letra maiuscula, identificada neste poema, lembra-me a mulher nordestina, do seu combate permanente por uma vida com digna, em liberdade, cantada pelo saudoso nordestino, o grande LUIS GONZAGA e pela rainha do baião CARMELIA ALVES. Leembrei-me, tambem, dos escritos de JOSUÉ DE CASTRO e dos nordestinos romanceados por Jorge AMADO. Lembrei-me tambem do "CAVALEIRO DA ESPERANÇA.....Um abraço do tamanho do MUNDO.

    um beijo amigo....


    ARFER

    ResponderExcluir

Benvindos ao meu kantinho!!!

Piu Piu pra você!

Piu Piu pra você!