Uploaded with ImageShack.us

Que férias! Ceará terra da Gente!!!

Que férias! Ceará terra da Gente!!!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Desistir...

DESISTIR...

TEU OLHAR ERA QUASE UM PEDIDO
PELO FIM DO QUE NUNCA EXISTIU PARA TI.
QUANTO SINTO O AMOR E UM TEMPO PERDIDO
TERMINEI POR SABER SER MAIS CÔMODO PRA TI.
ENTRE MEIAS PALAVRAS SEM OLHAR-ME NOS O- LHOS
NA CORRIDA, TEU TEMPO POR SEXO
CONTORCI-ME DE DOR E MURCHARAM OS ABROLHOS,
NÃO VIVIAS O AMOR, ERA UM CASO SEM NEXO.
PARA NÓS NUNCA HOUVERAM VERDADES
TEU BRILHANTE DE SONHO ERA FALSO
ESCOLHESTE TUA TRTILHA CINSENTA UM VIVER SEM ALARDES
DESISTINDO DO PORTO SEGURO ENTRE TANTOS PERCALÇOS.
MAIS UM DIA... E MEU OLHAR FESTIVO POR ESTAR CONTIGO;
EU TE AMEI TRANPIRANDO CARINHO E TUAS FALAS DISTANTES
VI MEUS OLHOS NOS TEUS E NÃO ESTAVAS COMIGO
EU DESISTO E NÃO QUERO MIGALHAS DE INSTANTES.
PARECE QUE TUDO ENTRE NÓS ERA UM PURO CAPRICHO
NÃO ME DESTE A MÃO NEM APENAS UM OLHAR DOS AMANTES.
NÃO SEREI OBJETO POIS TRAGO VALORES SOU TETO E ASSOALHO MACIÇO.
GUARDE ENTÃO SE POSSÍVEL, SE ALGO DE BOM TE PASSEI.
VI RUIR O MEU MUNDO PERCEBI, EU VIVIA SOZINHA.
EU AMEI COM A FORÇA DO AMOR E SOMENTE...
MUITA LUZ, RECUPERE O AMOR NOUTRO NINHO.

GORETTI ALBUQUERQUE.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Maria...Por Maria.





MARIA...POR MARIA.

SOU A MARIA CONHECIDA COMO
AQUELA QUE NADA FAZ PARA
PARECER TÃO IGUAL A TANTOS QUE
GRITAM NAS PRAÇAS SEUS ATOS SEM EFEITOS
PRECISAM EXIBIR AOS QUATRO CANTOS SEUS FEITOS.
MINHAS PEGADAS ESTÃO EM MEU CAMINHAR
EM MEU SER E MEU PENSAR DIFERENTE.
MEU MUNDO É NA SURDINA DOS FATOS
APENAS RETRATO A DEUS MEUS TROPEÇOS EM RELATOS
EM MINHAS LOUCURAS VOU MONTANDO MEUS TRAÇOS.
EM MEIO ÀS INCOMPREENÇÕES EU CRESÇO UM POUCO
DESPRESO ÀS HOMENAGENS E SIGO DO MEU JEITO
CAMINHO A MEIO FIO TAL UM EQUILIBRISTA BÊBADO E LOUCO
SOU AVE DE RAPINA POR VEZES ATÉ POR SINA
UM RISO EM CORAÇÃO BEM VISTO POR TÃO POUCOS.
NADA TENHO A DEIXAR SE NÃO MEUS FRÁGEIS PASSOS
POR ONDE EU CAMINHEI, AMEI, SORRI, SOMEI
MEU PEITO REGOZIJA E VOU SENDO AUTÊNTICA EM FORTES LAÇOS
O MUNDO ONDE EU SONHO É BEM RISONHO
DO POUCO QUE APRENDI ABRI ARESTAS PLANTEI UM LINDO SONHO.
DISSE DO DIFERENTE COMO EU PODE SUAVISAR
ÀS DORES DOS ENFERMOS TENTEI CAUTERIZAR
FALEI DEMAIS PRA TANTOS QUE DESEJAVAM O MEU CALAR
MAS APESAR DOS CONTRASTES APRENDI PERDOAR
POIS SENDO DIFERENTE A OUTROS QUE MAGOEI EU QUIS AMAR.
FUI CHUVA PASSAGEIRA, ALEGRE E VERDADEIRA
NA VASTA AMPLIDÃO SENTI-ME SOBERANA E VERDADEIRA
EM MINHA SOLIDãO EU
ENCONTREI SABEDORIA E INSPIRAÇÃO
MEUS OLHOS SE ILUMINAM AMANDO O MEU IRMÃO
BRINCO DE SER POETA E ENTREGO O CORAÇÃO.
SOU MARIA DO TEMPO EM QUE O SORRIR
ERA O ALIVIO E A CURA DA DOR
MARIA SEM FEITOS, CHEIA DE DEFEITOS
QUE SONHA AINDA COM IGUALDADE
SOU MESMO A MARIA QUE AMA AMAR O AMOR

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Manhã de Outubro (in memoriam)

A névoa pouco a pouco cobria teu olhar
Era manhã de outubro de um Céu azul composto
Em um quarto de hospital como teu lar
Teu corpo descansou sereno era teu rosto.

Qual águia mensageira alçou teu vôo
Sobrevoando o topo da colina
Teu Anjo Gabriel suave canto entoa
Ao som de mil trombetas entre a neblina.

Fizeste o bem olhando ao teu redor
Sorriste ao teu irmão com zelo e amor cuidou
Deus te secou da face tua lágrima e teu suor
No Céu receberás todo o bem que plantou.

Quando na mocidade eras sagaz
De alma brincalhona sempre uma meninona.
A tantos comoveu com riso e paz
Teus rastros ficarão em brilho que desponta.

Esquece teu calvário aqui na terra
Vivemos teu sofrer tua resignação
Uma saudade imensa ainda dilacera
Ao Pai te entregamos na dor e em oração.

Contempla o paraíso e leva teu sorriso
Brinca com o Arcanjo em doce canto
Tua marca na história será sempre o teu riso
Repousa com “Maria” e o Céu seja o teu manto.

Vai tia Rita, com bênçãos infinitas e paz em teu semblante.
Viaja a Via Láctea e brilha lá distante
Daqui da terra oramos, Cometa exuberante.
Tua saudade é um canto presente a cada instante.

Goretti Albuquerque.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Voo de um Pai Poeta. (in memoriam)
Vôo de um Pai Poeta.(in memoriam) Venho hoje buscar no abraço O calor de um ombro e um colo de amor. Quando escrevo compondo eu disfarço E o escuro ilumina sarando essa dor. Quanto tempo calada e falando eu estava Quando o peito dizia em batidas freqüentes Foi a forma encontrada por eu desejada Com os elos das horas montei às mais duras correntes. Quais correntes das bravas nascentes Eu olhava meu rio a correr, a passar Fui a gota de outras sementes Pranteando e olhando um poeta voar. Quando à espessa camada surgia e cobria Todo o brilho de um olhar, que nasceu e viveu entre versos prosas Minha mente montava mosaicos de alguém que partia Deixando-nos um legado de amor e atitudes honrosas. Do poeta de falas e frases pensadas, Sou um galho, pequena vertente. Vou crescer pra de um Pai eu poder mais dizer Que o cometa era um homem franzino de mãos calejadas Tinha à luz do saber, tinha um muito de Deus em seu Ser! Por uma filha. Goretti Albuquerque

Benvindos ao meu kantinho!!!

Piu Piu pra você!

Piu Piu pra você!