Uploaded with ImageShack.us

Que férias! Ceará terra da Gente!!!

Que férias! Ceará terra da Gente!!!

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Rouxinol do meu Canto!




Estive...
Em constante ânsia louca
Às vezes em lucidez tão pouca
No calor de tua boca
Eu morri gota a gota.

Passei...
Por estradas tão duras
Caminhando as escuras
Rompi frestas obscuras
Eu por ti fiz loucuras.

Vivemos...
Um amor flutuante
Pelo Céu dos amantes
Por galáxias distantes
Eu te amei... “Navegante!”

Estamos...
Em um longo recesso
Desse amor em excesso
Vive hoje um processo
Esse amor réu confesso.

Mas...
É preciso que aprendas
Que ao passar pelas fendas
Vendo a luz me entendas
Que no amor há contendas.

Meu Amor...
Porque choras tanto?
Seca agora o teu pranto
Sou tua vida o teu manto
Rouxinol do meu canto!

Goretti Albuquerque.

sábado, 24 de julho de 2010

Seqüelas no olhar





Olhar marejado
Peito em mil pedaços
Tiraram seus passos
Progresso malvado
Roubou-lhe o roçado
Desfez seu traçado.

Com olhar já sombrio
No peito um vazio
Nem honra nem brio
Um homem arredio
Com alma tão fria
Vive em apatia.

Bom homem do campo
Não vês mais encantos
Convive com o pranto
Sufoca seu canto
Veste-se com o manto
Suplica a Deus Santo.

Em um triste dia
Veio a Ferrovia
Tudo a revelia
Terras e valias
E desapropria
Seu labor se ia.

Suas mãos calejadas
Contam sua história
Sementes plantadas
Desfeitas agora
Ventos com rajadas
Sua vida indo embora.

Guerreiro da lida
Sozinho estás.
Pois sua querida
Bem longe andará
Não quis essa vida
Deixou de te amar.

Homem de valor
Rebento da dor
Usina de amor.
Por ali ficou
Sua vida parou
Nunca mais amou.

Goretti Albuquerque

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Por mais que eu tente...





Esquivo-me de ti...
Mas, lá na mente está a tua imagem
E em meu leito vejo tua miragem.

Achego-me a ti...
Na centelha do luar mais brilhante
Nos desejos carnais de um corpo de amante.

Adormeço em ti...
Imaginando loucas fantasias e ensejos,
Viajando em teu corpo, sinto arrepios entre mil desejos.

Choro por ti...
Querendo que não sofras nunca meu amor
No Céu um arco-íris vem surgindo como em um louvor.

Lamento por ti...
Porque por outra me abandonaste
Sem que eu soubesse tu me enganaste.

Pergunto por ti...
Aos quatro ventos tento encontrar-te
Mais tu sequer sabes do meu penar.

Canto por ti...
Qual o canto triste de uma sereia
És meu amor, na praia... a minha areia.

Quero a ti...
Mesmo distante dessa ou de outras vidas
Sigo te amando em dores tão sentidas.

Goretti Albuquerque.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Prima"Veras"




Era o tempo de luas minguantes
Via Láctea enviando um peralta embrião,
Fecundava ao meio do vento
Já trazendo na mente facetas,
De um gameta ganhando esperteza,
Chega ao óvulo ligeiro e no tempo.


Da ciência dos loucos trazia,
Diferentes legados não o desejado;
E formando seu mundo sorria e pensava.
Para onde iria e como seria...
E ainda em fusão para onde iria?
E em terra o Universo a favor conspirava.

Das partículas formadas por vidas escolhidas
Eram dois recebendo de Deus os meus traços,
E na bênção de um lar vinha eu, teimosia,
Embalada no amor por a dona cegonha,
A vidinha chegando com cara de joelho e chorona,
De repente cheguei demarcando o meu próprio espaço.

Monta guarda menina levada
Tens aqui os teus anjos de Guarda;
No caminho galgarás espinhos,
E em teu chão se abrirão duras fendas,
Em teu peito envolto em safenas,
Tens a cura e sorrindo acharás caminhos.

E assim vim marcando a chegada
E em meus planos fui arquitetando,
Com semblante inquieto aos poucos o amor foi moldando,
Fiz o encontro de lágrimas com um calmo sorriso,
E em meu colo a prole encanta e completa a grandeza,
Consegui... Dei a volta completa ao redor do sol meus amigos malucos “Beleza!

Goretti Albuquerque

Amor em Flor!






Quero uma flor no formato do amor,
Que seja assim, uma vida sem dor;
Quando sonhardes vais compor do amor,
E toda alma do Céu tenha a cor.

Toma o carinho e floresce o caminho,
De amor e luz faz o seu próprio ninho;
Seja o luar tua vida a clarear,
Beija o sorriso, ele ensina do amar.

Viaja a mente, ama tua vertente,
Planta a semente e colhe tão somente,
Chame uma estrela sente o seu brilhar,
Na terra és luz enviada pra amar.

Em teu contexto vence o preconceito,
Olha o irmão sente a causa e o efeito;
Reparte o pão põe nos lábios a canção,
Teu despertar seja um alegre cantar!

Em tuas dores rende a Deus louvores,
Tal qual a rosa sempre bem formosa,
Corre ao jardim abre os braços pra mim,
Sou Deus do Amor toda “Glória” sem fim.

Vai pela fé reconhecendo o amor,
A nada temas, sou quem te formou;
Quando uma luta tentar abater-te,
Lembras de mim, sou “Amor e Poder!”

Goretti Albuquerque.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Poeta em prosa




Vi flores se abrindo
Um Céu ressurgindo
O sol se encobrindo
No teu riso infindo.

Vi no azul do mar
Tua forma de amar
E a areia a brincar
Dois corpos banhar.

Vi que a Estrela Guia
Nosso amor sentia
Do alto sorria
E o amor renascia.

Vi sol dos amantes
Deus dos navegantes
Estrelas brilhantes
Em vôos rasantes.

Vi dois sendo um
Fração incomum
Igual a nenhum
Amor “dois em Um.”

Como a cerejeira
Brinca em ser roseira
Como o albatroz voando veloz
Posso eu ser a Rosa,
Poeta em Prosa!?

Goretti Albuquerque.

sábado, 17 de julho de 2010

Sou metal. Se ao fogo...refino.




Não pensei e fugi...
Para um mundo distante
Desbravando e constante
Caminhando arrogante,
Mais o choro em instantes
Percorreu-me o semblante.

Eu lutei...
Fiz as contas dos dias
Superando agonias
Tive noites tão frias
Dias sem sintonias
Madrugadas sombrias.

Deixei rastros...
De amor e coragem
Curativo e bandagem
Sempre um “Deus” na bagagem
Me mostrando a passagem
Fui levada pra margem.

Tirei forças...
De uma vida de luta
Eu cresci na labuta
Sempre em boa conduta
Eu segui fui astuta,
Hoje o mundo me escuta.

Sou metal...
Se ao fogo refina
Uma fera felina
O suor me ensina
Vou passando por cima
Acho o mapa da mina.

Encontrei-me...
Sou o sol da esperança
Sou a mão que alcança
Lembro os tempos criança
Peço a Deus por bonança
Sou um mar de lembranças.

Goretti Albuquerque.

Vamos lá ao desafio amigos?




Recebi essa prova de fogo da amiga Juliana Carla. (foto acima)

Tenho que confessar aqui seis itens dos quais eu não me enquadro dentro na vida e também nesse espaço Virtual de Blogueira.

1- Não me sinto a vontade para comentar artigos onde eu não encontre um fundo de verdade.

2-Quando percebo que normas e regras tentam moldar-me diferente do que eu sou... com postura e diplomacia, bato em retirada.

3-É possível eu detectar pessoas que na verdade não estão comprometidas com o que posto e tento passar em meus textos. Isso me deixa muito triste mas, é o direito do livre arbítrio de cada um.

4-Não me enquadro em rimas ou esquadros perfeitos de como escrever o que sinto.
Apenas escrevo e não me importo se recebo uma crítica, aprendo com ela.

5-Sou ousada e me acho capas de tentar ao menos corrigir os meus erros constantes e seguir em frente.

6- Quando é noite em meu quarto eu me aninho e vou lendo a cada Blogueiro e anotando a grandeza de opiniões que diferem das minhas, e embaixo eu assino.

Bem: agora que terminei minhas questões aqui, vou desafiar para essa tarefa mais seis pessoas (se aceitarem) e convido:


sandraandrade8.blogspot.com,heidykeller.blogspot.com, liaks25.blogspot.com, silvinhahba.blogspot.com, cantinhodadalinha.blogspot.com, noemiabrandao.blogspot.com

Desejo sucesso nos exercícios meus amigos!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Sentimento Poético





O Poeta ama com real grandeza
Lágrima em um texto encontrou beleza
Na sofreguidão, põe seu coração transpira nobreza.
Vem à narrativa e o poeta chora com tal sutileza
Em contexto pleno o poeta joga sua singeleza,
Um relato e pronto, alegria ou pranto, em sua realeza.

O poeta chora, com a narrativa, pura comoção
Já sorri com tramas, amenos e brandos canta o coração.
Seu olho d’alma vislumbra a poesia com muita emoção.
Ama por tabela, chora o conteúdo, com sofreguidão.
Pobres dos poetas postam os sentimentos, todos em suas mãos.
Amarás pra sempre, sorrirás em lágrimas, dores da canção.

Pétalas contidas
No dizer sentido
No sentir sofrido
Dores emitidas
Sente-se envolvido
Nos versos vividos.

O poeta ama, flui a emoção
De um texto que passa tanta comoção
De dor e alegria, mesmo em ficção.
Puro sentimento vem por provação
Pobre do poeta rasga o coração
Sentimentos nobres, pura devoção.

Gotejo de rosas, sorrisos chorosos, lágrimas em prosas...
Bela trajetória, um querer comporta
Em um coração...
Do poeta honroso, do amar zeloso, com tanta emoção.
Lindo amor fraterno, seu peito entrega numa doação.

Goretti Albuquerque.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Atitudes são Virtudes.




Autor(a) Goretti Albuquerque.

Pelos caminhos incertos
Caminhemos de olhos bem abertos;
Na vida tudo pode acontecer,
Se nada cultivares, o amor irá perecer.

Como suas atitudes serão suas virtudes,
Guarda teu coração de uma má ação;
Espalhas o amor e jamais a dor;
De seu conhecimento fluirá sentimentos.

Para muitos o medo é segredo,
Do vazio da mente, não brotará a semente;
As barreiras da vida têm que serem sentidas;
No calor de suas mãos leve amor aos irmãos.

A Ciência pesquisa, o homem realiza,
Vereda escura saída obscura;
No esquecimento trás um mal momento.
Aprende a viver renasce em saber.

Com olhos do bem irás mais além,
Verdades são ditas de um “ponto de vista;”
Todo mar aberto leva ao rumo incerto;
Mas a alma acalma, frente a sua palma.

No solo do agreste a flor do cipreste,
Dentre a incerteza buscamos clareza;
Na mais vasta desilusão entra em oração,
Toma meus versinhos feito uma canção.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Pensante Amanheça!!!




Autor(a) Goretti Albuquerque


Drible tua dor tome todo o amor,
Tua fronte é centelha, brilho das estrelas
Na guerra ou na paz, guerreiro capaz,
Regressa ao meu mundo, pensante profundo.

Tua marca já tem como um bravo refém,
No cárcere calado de grito abafado,
Teus passos pararam e a muitos mataram,
Vives nesse peito, meu andante eleito.

Quando em torturas, cruéis amarguras,
Teus olhos sem brilho, já fora do trilho
Sonhou foi além, doação do bem,
Amou em canção viveu pra Nação.

Cintilante aurora dos que foram embora,
Todo sentimento, vida em cumprimento
Por tantos feridos, de sonhos imbuídos,
Somos teus caminhos, luz em pergaminho.

Sentindo a emoção fiz essa canção.
Quando na tristeza emana nobreza,
Moldado em saber ensinou-me a ver,
Doce primazia, vida em sinfonia.

Quero-te agora, e se fordes embora?
O Céu se escurece e o amor perece.
Deixa-me dar-te colo, canto e te consolo,
Rosa de Hiroxima, manto das colinas.

domingo, 11 de julho de 2010

Esse Amor gostoso.




Os beijos do meu amor
Deixam inerte meu pobre corpo
Aplacando em mim, desejos sem pudor
Somos dois amantes, morrendo de Amor.

Quando tu me amas, de maneira louca
Provocas desejos, leva-me a loucura, sinto teu sabor.
Mordes minha nuca, tira minha roupa
Ouço-te arfando, já com voz tão rouca.

Sempre nos amamos, feito dois meninos
Ao tocar tua boca, escuto mil sinos
Exalamos química, vêm os desatinos
Uma fêmea tua, com brilho da lua, louco amor sentimos.

Oh! Meu anjo louco, sempre a me adorar
Sou tua menina, gosto do teu cheiro, do jeito de Amar.
Somos um do outro, dois corpos ardentes, sempre a desejar
Na doce Volúpia, em teu peito quente, vou me acalentar.

Meu louco tormento vai de encontro ao vento
Conta dos mistérios, dessa forma louca, desse amor sem tempo,
Vem ficar pertinho, me amar dengoso
Somos tal criança, nesse Amor gostoso.

Goretti Albuquerque.

sábado, 10 de julho de 2010

Sou meu inicio e fim...





Caminho a meio fio,
Meu norte eu mesmo crio,
Desmonto o meu vazio,
Nos guetos onde o frio,
Tem som de um calafrio.

Sou um afortunado,
Da vida um expurgado,
Um ser já apagado,
Sistema mal fadado,
Eu sou do Deus Amado.

Quem é que vai comigo
Na barca onde eu convivo,
Remando o mar bravio,
Vencendo o inimigo?
Terás um Rei contigo.

Metade amarelada,
Laranja arremessada,
Na vida rejeitada.
Sou eu a mão armada,
Em veste ornamentada.

Consciência boa ou ruim,
Continuo pensando assim,
Às vezes um pouco fora de mim,
Feito tantos loucos versando enfim,
Denuncio em falas, desde o início ou fim.

Goretti Albuquerque.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Desencontros





Não me encontro em coisas vãs,
Estou presente no sol das manhãs.
Trago na face à cor rosada das maçãs,
A Lua cândida banha-me e faz-nos irmãs.

Sou melancólica em lampejos intensos
Logo em segundos sorrisos imensos
No desamor reflito os desencontros
Refino o amor dos corações intensos.

Por vezes me consumo vivendo a razão,
Quando tudo é feio e lixo para a Nação:
Isolo e esqueço o amor “Homem Mulher”
Sempre gestante estou da Flor do Bem-me-Quer.

Nesse passinho vou longe em meu jeito
Não muito eu posso mais deixo o meu feito,
Choro e reflito a dor dos mais aflitos
Preciso amar meus irmãos em conflitos.

Trago comigo a missão de uma lida
De amar o bem repassando pra vida
No olhar deixar a chave da igualdade,
Poder dizer: Amo-Te sem maldade.

Mais outra parte de mim camufla a leoa
Sou uma amante pura, louca e sem proa.
Um Tsunami minha pele entoa
Em desencontros a canção que ecoa!

Goretti Albuquerque.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

E gritei por seu nome...




Por um longo tempo eu...
Procurei esquecer
Por de lado o sofrer
Esse ardor em meu peito
O teu cheiro em meu leito
Mas, não consegui.

Chamei-te...
Eu queria ser tua
Feito o sol e a lua
Te amar no infinito
Meu amor mais bonito
Mas, não consegui.

E cantei...
Meu amor em poema
Me transpus fui ao Céu
Na barreira de um véu
Tua imagem surgia
Feito sonho e magia
Mas, não consegui.

Eu não consegui...
Te falar que era frio
Meu outono vazio;
Do calor do meu corpo
De um olhar quase morto
E gritei por seu nome!


Goretti Albuquerque.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Volta meu Amor!





Tentei atenuar
Meu viver sem te amar
Mas, meu tempo parou
Venha ver como estou.

Deixou-me sem teu cheiro felino
Sem teu corpo divino
Vivo em um desatino
Sem teus beijos Menino!

Sem teus beijos Menino
Sou um ser pequenino
Que te implora carinho
Eu sou tal peregrino.

Em meus olhos distantes
Meu amor, por instantes
Choram lágrimas marcantes
Dor e amor são constantes.

Volta meu amor!
Esqueça o passado
Sei que choras calado
Somos “UM” meu Amado!

Meu pensamento é teu meu amor... Volta!
Tens minha adoração e meu coração
Estou desmotivada e perdendo a razão
Volta pra mim volta meu Amor!!!

Goretti Albuquerque

domingo, 4 de julho de 2010

sábado, 3 de julho de 2010

Moça bonita na Roda




A lua nasceu formosa
A moça como uma flor
Rapaz pra sonhar com a rosa
Tem que provar seu valor
Não vale ter boa prosa
Vai, finca o pé no labor.

Moça bonita na roda
Faz suspirar corações
Veste-se toda na moda
Com feitiço e inspirações
Seu olhar logo incomoda
Provocando furacões.

Donzela cheirando amor
Tem nos olhos sedução
Seu andar provoca a dor
Desde o jovem ao ancião
Nos lábios tens o sabor
Com cheirinho de melão.

Pobre rapaz descontrola
Querendo a linda donzela
Seu coração feito bola
Bate apanha nas mazelas
Seu mundo todo se enrola
Mil loucuras faz por ela.

Menina, mulher cheirosa
Tens um sorriso dengoso
Requebra os quadris com graça
Teu olhar é uma ameaça
Dispara amor a distância
Teu corpo a melhor fragrância.

Goretti Albuquerque.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Sou meus Impulsos





De azul e branco faço o meu ninho
Para acalanto do amor primeiro
Quem sabe um dia um belo passarinho
Trás o recado do meu timoneiro.

Sou viajante de um planeta mágico
Conjugo paz amor em um sorriso
Sempre farei meu mundo intergaláctico
Cheio de amor e meu olhar em riso.

Que a brisa doce que me roça a boca
Possa também tocar meu coração
Vivo feliz sendo sensata e louca
Assim sou livre feito uma canção.

Desejos loucos de uma vida plena
Carrego caixas cheias de emoção
Porque assim a vida vale a pena
Adrenalina em forma de oração.

Vidas se cruzam em um olhar somente
Em um segundo trás nosso destino
Mas falta pulso no incoerente
Perde-se a chance por um desatino.

Razão não é a marca registrada
Dos corações ardentes dos amantes
Trocam o percurso vão por outra estrada
Onde o crepúsculo é feito diamantes.

Chamas de vidas que se entrelaçam
Jamais se apagam ainda que distante
Depois da vida lá no Céu se enlaçam
Viram estrelinhas, brilham a todo instante.

Algo me fez lembrar como é bonito
Olhar sorrindo para o semelhante
Por onde passo deixo um riso escrito
Quero por fim que lembrem meu semblante.

Benvindos ao meu kantinho!!!

Piu Piu pra você!

Piu Piu pra você!